Chat Lateral
Últimos assuntos
» Avatares Femininos
Qui Dez 08, 2016 3:15 pm por Moon Gyeon Lee

» Área de Flood
Ter Set 15, 2015 10:48 pm por Lisbeth Vannucci

» [FP] Charlie A. Reacher
Qui Ago 27, 2015 8:31 pm por Luix H. W. Kriskahn

» [FP] O'Neall, Amelia R.
Qui Ago 27, 2015 7:29 pm por Amelia R. O'Neall

» Promoções de Abertura
Qua Ago 26, 2015 8:14 pm por Sophia D. Olderschvank

» [FP] ROSS POLLANSKI, MARGOT
Ter Ago 25, 2015 8:27 pm por Dean Winchester

» [TP]As aventuras de Zoey e Luix : Quebrando Maldições [TP]
Seg Ago 24, 2015 5:36 pm por Zoey Brooke

» Pedido de Quest
Seg Ago 24, 2015 3:02 pm por Matthew O'Connor

» Avatares Masculinos
Seg Ago 24, 2015 2:50 am por Caleb Hemmings


[FP] Sophia D. Olderschvank

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FP] Sophia D. Olderschvank

Mensagem por Sophia D. Olderschvank em Dom Ago 16, 2015 7:46 pm



Sophia D. Olderschvank

Sophia Dianne Olderschvank
Sophia Dianne Olderschvank

IDADE:
25 anos

ESPÉCIE:
Humano

NACIONALIDADE:
Russia

APELIDO:
Soph, Belle

GRUPO:
Caçadores





PERÍCIAS:
Armas Brancas-2p
Pistolas- 2p

DESVANTAGENS:
Traço Marcante(1 ponto): Uma cicatriz profunda no formato de um raio no pulso direito.
Frieza(1 ponto)
Ansioso(1 ponto)
Sadismo(2 pontos)
Mania(1 ponto)> Sophia tem a mania de dizer em voz alta oque fez antes de realizar outra ação, por exemplo, antes de sair de casa/hotel ela precisa dizer oque fez: -Chaves, peguei, janelas, fechei... Por o sal na mochila, coloquei.
Caso ela não faça isso uma sensação de esquecimento irá atormenta-la.

ANÁLISE PSICOLÓGICA:
Antes dos seus 15 anos, Sophia era uma garota doce e cheia de amigos, era amável com seus pais e uma ótima irmã sempre disposta a tudo por seus três irmãos mais novos.
Soph fazia o tipo: “Queridinha de todos”, distribuía sorrisos e adorava demonstrar afeto, mas depois dos seus 15 anos aquela garota doce deixou de existir dando espaço para uma Sophia sombria que ninguém conhecia, o sorriso radiante deixara de existir assim como as demonstrações de afeto, ela se afastou de seus amigos e começou a ficar isolada do mundo, passou a ler e a pesquisar por coisas estranhas e isso fez com que todos se afastassem.
Agora com seus 25 anos, Soph se tornou uma garota solitária, trocou as roupas de cores alegres por simples roupas escuras, olheiras surgiram em seu rosto angelical e agora ela sobrevive com os pesadelos do fatídico dia 13/07/2005.  

ANÁLISE FÍSICA:
-Morena
-1,70m
-Magra,, porém com curvas
-Olhos azuis claros
-Pele clara
-Sorriso encantador
-Voz suave

OBSERVAÇÃO:
Não resiste a morangos

HISTÓRIA: (MINIMO 12)


"Todo mundo tem um anjo, um guardião que cuida de nós.
Nós não sabemos a forma que ele toma um dia um velho, no outro, uma menina, mas não deixe que as aparência enganem você, eles podem ser ferozes como um dragão, mas ainda assim não estão aqui para lutar nossas batalhas, só para nos inspirar, lembrando quem somos nós.

Todos nós temos poder sobre os mundos que criamos.

Nós podemos negar que nossos anjos existem ou nos convencer de que não são reais, mas eles aparecem de qualquer jeito, nos lugares mais estranhos e nas horas mais estranhas, eles podem falar de qualquer jeito que se imagina e espantar demônios se for preciso, eles nos instigam e nos desafiam a lutar”

----------xxxx----------

O relógio tocava às 6h da manhã todos os dias, Sophia demorava para abrir os olhos e tentava resistir a tentação de desliga-lo e voltar a dormir.

-Soph! Mamãe fez panquecas! Venha logo, Arya vai comer todas – disse Gale por uma fresta que abriu da porta.

A voz enérgica do garoto de oito anos fez com que a mais velha levantasse já com um sorriso nos lábios, ela tomou um banho rápido e colocou o uniforme da escola indo em seguida tomar o café da manhã.

-Bom dia mãe – a morena foi até a pia onde a mãe estava e depositou um leve beijo em sua testa

-Soph! Rápido só restaram duas panquecas!

-Lolla passa o mel?

-Chega de mel, Arya você já colocou demais!

-Me dê o meeeeeeeeel... mããããaãe

-Já chega, fiz mais panquecas e tem mais mel no armário.
–respondeu a mulher loira enquanto servia mais panquecas para seus “monstrinhos”.

Sophia era a mais velha de 4 irmãos, Lolla de 7 anos, Gale de 8 anos e Arya de 5 anos, a relação entre eles era harmoniosa e repleta de carinho, os mais novos se espelhavam na irmã mais velha, que por sua vez, se espelhava em sua mãe, Irma, Sophia só gostaria de saber mais sobre seu pai, Caleb que vivia viajando em seu emprego de piloto de avião.

------------xxxx--------------

Após a escola, a jovem de quinze anos fazia trabalhos comunitários, Sophia ajudava em um asilo e sonhava em ser médica, ela tinha uma vida comum, amigos comuns, família comum, mas naquele dia 13 de Julho algo estava diferente, a Sra.Belikov que todos os dias regava as plantas por voltas de 17h não estava realizando a tarefa, o Sr. Ollenko não estava ouvindo ópera e as crianças da Sra. Ivashkov não estavam brincando na rua, tudo estava mortalmente silencioso. Sophia correu para casa.

A entrada da residência dos Olderschvank estava intacta, cheiro de bolachas doces saíam pela janela da cozinha, tudo parecia normal, a garota se aproximou da porta e girou a maçaneta.

-Cheguei! –anunciou ela indo até a sala, mas ninguém respondeu, Arya não veio correndo ao seu encontro e Gale não apareceu com seu sabre de luz.

-Alô? Mãe... Crianças...

-Finalmente, seja bem vinda, Sophia-
anunciou uma voz vinda da escada, assustada, Sophia tentou voltar para a entrada da casa, mas havia um homem lá bloqueando a porta e em segundos ele a imobilizou e a arrastou para a escada.

No corredor do segundo andar da casa não haviam mais quadros nas paredes, as gavetas dos armários foram reviradas, Sophia observava tudo enquanto era levada até o quarto de sua mãe.

-Filha... Soltem a minha filha!- gritava sua mãe desesperada, Irma estava amarrada assim como as três crianças.

-Calma mamãe, vamos solta-la – o homem que parecia ser o líder da gangue e usava uma jaqueta de couro vermelha se aproximou de Sophia.

-Você tem quarenta minutos para achar o diário do seu pai e assim que se passarem dez minutos, um deles vai morrer.

-NÃO!

-Calhe a boca, Vadia!
– um dos homem deu um soco em Irma.

Sophia estava tão assustada que sentia o coração bater acelerado.

-Quarenta minutos, quatro tiros. Você só precisa me trazer o diário do seu pai.

-Eu-eu não sei onde ele está

-ENTÃO PROCURE! Sei que você vai encontra-lo. Agora vá!
– o homem que segurava Sophia a soltou e ela imediatamente saiu correndo pela casa, vasculhou o quarto de sua mãe, dos seus irmãos, tirou tudo o que havia nos armários da cozinha, foi até o sótão e ao porão, vasculhou por seu quarto e foi quando abriu seu armário que ela ouviu o primeiro tiro seguido do grito de Gale, sua mãe e Lolla.

-Arya... –sussurrou ela enquanto continuava procurando.

Sophia correu para os banheiros da casa, procurou por madeiras soltas no chão e nas paredes, mas não encontrava nem sequer vestígios do diário de seu pai, que ela nem mesmo sabia como era.

-NÃO ESTÁ NA CASA!-gritou ela, mas foi silenciada por mais um tiro, Irma e Lolla gritaram.

Desesperada, Sophia foi até onde eles estavam e viu Arya e Gale mortos, o sangue escorria pelo chão sujando o vestido branco de sua mãe.

-Você disse que não está na casa, não é gracinha? – o líder se aproximou e colocou a arma na testa da garota.

-Não está, já-já olhei por toda a casa

-Que seja
– ele apontou o revolver para sua mãe e atirou mirando em seguida para Lolla efetuando um novo disparo, Sophia não gritou, apenas observou a cena e caiu de joelhos no chão, no lado de fora da casa sirenes de viaturas policiais puderam ser ouvidas.

-Acabamos por aqui, diga para o seu pai que vamos encontra-lo e pegar o diário – ele deu um tiro em cada capanga e em seguida se deu um tiro, mas eles não morreram e de repente fumaças negras saíram de suas bocas e agora havia 7 corpos no chão.

----------xxxx----------
Meses se passaram desde o assassinato de sua família quando seu pai finalmente apareceu, Caleb buscou a filha no orfanato onde ela estava e inicialmente não a reconheceu, Sophia estava isolada em um quarto, seus olhos estavam inchados de tanto chorar e assim que viu o pai ela o atacou. Foi nesse instante que Caleb percebeu que ela havia visto mais do que deveria.
-----------xxxx-----------

Atualmente com 25 anos e morando nos EUA onde adotou o nome Belle, Sophia sabe de tudo sobre as tais “fumaças” e sabe que infelizmente não poderá se vingar, pois, seu pai fez questão de caçar os três demônios, mas ela também sabe que outras famílias podem estar passando pelo mesmo que ela passou e por isso resolveu seguir com a “profissão” de seu pai.

-Como já diriam os Winchesters: Salvar pessoas, caçar coisas, o negócio da família- dissera seu pai dois anos atrás enquanto bebiam em um bar de estrada dias antes de ser estraçalhado por vampiros e até hoje Sophia não sabe nada sobre o tal diário de Caleb Olderschvank.


 




Amy Lee - Caçadores - Sophia D. Olderschvank



Hello Hello...


“remember me? I'm everything you can't control, somewhere beyond the pain there must be a way to believe we can break through”
avatar
Mensagens : 8
Data de inscrição : 15/08/2015
Idade : 21
Ver perfil do usuário

Sophia D. Olderschvank

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FP] Sophia D. Olderschvank

Mensagem por Ivan em Dom Ago 16, 2015 8:03 pm

Olá, Sophia.

Sua história é profunda, me prendeu do começo ao fim, pude entender o sofrimento da sua personagem. As descrições ficaram completas e satisfatórias. Seja bem-vinda.

Ficha aprovada.


Let me ask, you fear demons?
avatar
Mensagens : 18
Data de inscrição : 03/08/2015
Ver perfil do usuário

Ivan
Knight

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum