Chat Lateral
Últimos assuntos
» Avatares Femininos
Qui Dez 08, 2016 3:15 pm por Moon Gyeon Lee

» Área de Flood
Ter Set 15, 2015 10:48 pm por Lisbeth Vannucci

» [FP] Charlie A. Reacher
Qui Ago 27, 2015 8:31 pm por Luix H. W. Kriskahn

» [FP] O'Neall, Amelia R.
Qui Ago 27, 2015 7:29 pm por Amelia R. O'Neall

» Promoções de Abertura
Qua Ago 26, 2015 8:14 pm por Sophia D. Olderschvank

» [FP] ROSS POLLANSKI, MARGOT
Ter Ago 25, 2015 8:27 pm por Dean Winchester

» [TP]As aventuras de Zoey e Luix : Quebrando Maldições [TP]
Seg Ago 24, 2015 5:36 pm por Zoey Brooke

» Pedido de Quest
Seg Ago 24, 2015 3:02 pm por Matthew O'Connor

» Avatares Masculinos
Seg Ago 24, 2015 2:50 am por Caleb Hemmings


[FP] ROSS POLLANSKI, MARGOT

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FP] ROSS POLLANSKI, MARGOT

Mensagem por Margot Ross Pollanski em Dom Ago 23, 2015 2:28 pm



Margot Pollanski

NOME COMPLETO:
Margot Ross Pollanski.

IDADE:
19 anos.

ESPÉCIE:
Médium & Caçadora.

NACIONALIDADE:
Americana com descendência Polonesa.

APELIDO:
Margie ou M.

GRUPO:
Médiuns.





PERÍCIAS:
Tecnologia: A Tecnologia representa a capacidade de um indivíduo manipular (porém não consertar) aparelhos eletrônicos em geral, como celulares, computadores, tocadores de DVD e palm tops. Teoricamente, até simples televisores estão relacionados a esta habilidade. Um ser humano, por exemplo, sem Tecnologia, não teria problemas em fazer uma ligação a partir de um telefone celular, mas poderia complicar-se na hora de acessar a agenda eletrônica do mesmo. Já um ano que esteve por séculos afastado do Mundo não saberia sequer executar uma chamada. 2 pontos.[Passiva]
Mão Leve: A mão leve representa sua habilidade, presteza, precisão e rapidez manual. Ela pode ser usada para várias coisas, desde truques de mágica até para bater carteiras. 2 pontos.[Ativa]

DESVANTAGENS:
Inimigo: Você tem alguns inimigos que te perseguem, por algum motivo. Eles poderão topar contigo e se o fizerem, irão tentar te fazer mal. 2 pontos.
Lealdade: São incapazes de abandonar ou trair um aliado. Carregarão o corpo de um companheiro mesmo se estiver morto e, obviamente, são péssimos espiões. 2 pontos.
Mania: Seu personagem tem alguma mania. Um hábito que costuma repetir, como visitar lugares ou realizar uma ação. Quando é uma mania compulsória, como cleptomania e afins, o ganho é de 2 pontos. Margot tem a mania de estalar os dedos o tempo todo, uma espécie de tique que pode atrapalha-la muitas vezes quando está tentando ser silenciosa ou se esconder.

ANÁLISE PSICOLÓGICA:
Margot nunca conseguiu popularidade, muitos amigos e ser a invejável rainha do baile. Ela sempre foi uma menina de poucos colegas, um tanto solitária e que se dava melhor com computadores do que com seres humano de fato. Ela é uma menina simpática, quem a conhece percebe bem esse traço nela, mesmo sendo um tanto esquisita. Lealdade é um traço forte em Margot e talvez uma das suas grandes sinas, já que é incapaz de um dia trair alguém. Ela não é uma menina tímida, mas nunca foi boa socialmente. É mestra em tecnologia, domina o assunto e passa grande parte do seu tempo diante telas de computador. É uma hacker nata, é uma menina bagunceira e não perde a oportunidade de pregar uma peça naqueles que não gosta. Margot é um espírito livre. Adora emoções, gosta de fazer o que bem entende e desde pequena é tomada como puramente "irresponsável".

ANÁLISE FÍSICA:
Margot tem longos cabelos loiros e lisos, olhos azuis, mas que não lhe dá aquela aparência delicada e tipica de uma Barbie. Seus olhos tem um brilho selvagem e seus traços são tudo, menos delicados. É alta, mede cerca de 1,75 e tem estrutura magra, nada atlética por não ser fã de exercícios físicos. Possuir apenas uma tatuagem, uma escondida dos olhos dos seus pais, na nuca. Se trata de um símbolo protetor, uma espécie de triângulo com aspirais em cada uma de suas pontas.

OBSERVAÇÃO:
O vício de estalar os dedos surgiu como uma espécie de espasmo do corpo de Colleen, um trauma depois do acidente que sofreu, no qual perdeu o seu pai. O episódio será melhor explicado na história do personagem

HISTÓRIA: (MINIMO 12)

As histórias de uma típica adolescente americana não são aplicadas a vida de Margot Ross, nem mesmo quando sua maior preocupação de colegial era encontrar o vestido perfeito para a formatura. Na verdade, esse tipo de desafio superficial sequer um dia passou por sua cabeça. Filha de Austin Pollanski e Julia Pollanski, Margot foi uma criança renegada por qualquer tipo de ser humano, mesmo quando estes eram seus familiares e supostos indicados ao trabalho de amá-la incondicionalmente. Fora os seus pais, a garota tinha absolutamente ninguém desde que abriu seus olhos pela primeira vez. Mas por que isso aconteceu? E os avós, tios e todos aqueles que deveriam encher sua árvore genealógica? Acontece que Pollanski era o sobrenome de Austin e Julia muito antes do seu casamento e esse detalhe foi um pecado crucial que fez com que a família polonesa entrasse em colapso.
Austin e Julia dividiram a casa desde nascidos. Ambos filhos de Marah e George Pollanski, caçadores de renome em seu país,  acabaram crescendo e vivendo da mesma casa, tendo apenas um ano de diferença e se vendo - por alguma razão misteriosa - desconectado pelos laços sanguíneos. Eles não eram muito velhos quando começaram com o incesto e por anos se mantiveram escondidos dos olhos dos pais, tios e toda a família em geral. O romance durou três anos quando Julia engravidou nova, aos dezoito. Sem ter um namorado ou uma explicação para a gravidez, os dois irmãos fugiram do seu país de origem - Polônia - e se desfizeram de qualquer laço antigo que os ligasse com seu passado. Queriam começar do zero, e qual país seria melhor do que a terra da liberdade para isso? Os jovens perdidos e assustados resolveram então se mudar para os Estados Unidos.
Julia e Austin viveram então, ambos usando do sobrenome Pollanski, mas dessa vez por meio de um matrimônio que escondia a todos o seu pequeno segredo sujo. O casal de caçadores foi abençoado nove meses depois com uma linda garotinha a qual nomearam Margot, sua primeira e única menina que amaram e cuidaram como sua mais preciosa joia. Margot nasceu em solo americano e assim como os pais teve sua origem reiniciada do zero. Nunca soube sobre seus avós, parentes próximos e por muitos anos nunca se sentiu realmente curiosa para descobrir a razão daquilo. E foi com o primeiro choro da criança que a vida conturbada que lhe esperava começou.
Aos três anos Margot foi matriculada na escola, e desde pequena já sabia que era diferente de todos os seus colegas. Apesar de ser uma menina simpática e divertida, demonstrava problemas para fazer amizades, então desde muito nova não foi a criança mais popular de sua sala. Com o tempo se passando a trama não se alterou até o momento em que Margot começou a encontrar amor por outras coisas, além do contato humano. E foi nesse momento que seus amigos se tornaram máquinas.
Não foi uma mudança de homem para robô de que estamos falando e sim da descoberta de que, na verdade, a menina era incrivelmente boa com computadores. Seu espírito curioso começou a estudar sobre os tópicos e aos dez anos Margot já manjava muito mais sobre tecnologia do que graduados no assunto. Acontece que seu amor pela tecnologia foi apenas mais um agravante para retardar a menina socialmente a afastar ainda mais das relações afetivas que envolvia ter amigos que respiravam ou até mesmo um namorado. Os anos se passavam e muito menos interessada a menina ficava em conviver com seres humanos exceto os seus pais. Mesmo a família sendo unida e totalmente inortodoxa, Margot não se interessava por pessoas fora daquele círculo. Seus pais eram seus confidentes, seus amigos e tudo o que ela mais prezava e amava.
Foi também aos dez anos de idade que Margot teve sua primeira tragédia. Acontece que depois que Austin e Julia se mudaram para os EUA, eles resolveram se aposentar da carreira de caçadores. O único problema, era que essa carreira em especial era uma que não apresentava uma boa aposentadoria. O casal fez o possível para esconder o mundo sobrenatural da filha, mas os fantasmas do seu passado - quase literalmente - nunca os deixaria em paz. Foi numa noite de domingo em que a família estava na sala de televisão assistindo um bom filme, e quando a garota de olhos negros apareceu os abordando. Margot não se lembra de muito. Se lembra de ter sido colocada em um carro e então disparado noite afora quando o acidente aconteceu. Ela assistiu seus pais sangrando, agonizando até o momento em que seu pai perdeu a vida diante dos seus olhos. O trauma resultou em resistência compulsiva a menina, um reflexo diagnosticado pelos médicos como efeitos de um trauma, um estalar irritante dos dedos. Um gesto bobo, mas que a menina desenvolveu como forma subconsciente de esconder o seu luto, ao amenizá-lo, no mínimo.
Até os doze anos a vida de Margot foi nebulosa pelo luto da perda do seu pai, mas depois de um tempo as coisas começaram realmente a melhorar e aos poucos a menina foi ganhando vida novamente, assim como sua mãe que aos poucos se recuperou da tragédia. O processo foi lento e gradual, e foi apenas aos quinze anos, quando entrou no colegial que Margot teve sua vida normal de volta.
Ela era um espírito brincalhão, então exerceu essa função com todos os seus dotes. No colegial não era a menina popular que todos queriam namorar ou a garota estilosa que todos imitavam. Margot era a menina recatada, de poucos amigos e que as pessoas olhavam estranho, mas a garota que também gostava de se infernizar e se divertir com todos aqueles que entravam em seu caminho. Como Hacker ela conseguia pregar todos os tipos de peças possíveis, e com o tempo também desenvolveu uma habilidade engraçada, uma espécie de mão leve que torava todas as suas pegadinhas infalíveis e maravilhosas. E foi com essas habilidades que aos poucos o nome de Margot se tornou menos invisível. Pessoas não queriam ser suas amigas ou queriam ser elas, mas pelo menos sabiam a quem tinham que contatar quando queriam se vingar ou pregar uma peça em alguém. Margot passou a "vender" seus serviços de sabotagem e com o tempo as pessoas começaram a reconhece-la por tal ato. No colegial tinha apenas dois amigos, Anderson e Allison, os gêmeos que assim como ela eram socialmente excluídos. Porém daquele ciclo nasceu uma relação de amor quase como os três mosqueteiros. Sempre um por todos e todos por um.
Quando tinha quinze anos também, as coisas mudaram em casa. Suma mãe se casou de novo com um americano chamado Brad e em menos de um ano ele se mudou, passando a morar com as duas. Julia engravidou de novo e dessa gravidez nasceu Mikka, o irmão mais novo de Margot que era simplesmente a cara da sua mãe. O garotinho de dois anos passou a ser o amor da vida da menina e a pessoa que ela prometeu proteger com todas as suas forças. Mesmo não tendo uma relação 100% afetiva com Brad, a vida de Margot passou a entrar aos poucos nos eixos e se mostrar aturável, até mesmo um pouco invejável. Mas novamente o destino esperava mais do que isso para ela.
O dia mais horrível da vida da menina foi uma sexta-feira de aula,  quando saía de sua matéria favorita: Biologia. Ela se lembra do episódio fresco em sua memória, como se fosse uma lembrança recente, muito mais do que realmente era. Margot estava caminhando pelos corredores e nada estava parecendo ser consideravelmente diferente do que costumava. Alunos andavam de um lado para o outro, havia aquele tumulto clássico de intervalos e ela estava com a mente ocupada, dirigindo os seus passos em direção a sua próxima aula do dia que seria história.
As pessoas olhavam para ela conforme ela passava no corredor, mas pela maioria ela passava despercebida. Ela preferia assim. Havia um sorriso bobo em seu rosto conforme ela se lembrava de um caso que Allison havia lhe contado mais cedo e tudo o que ela mais queria era rir com a situação. Sua amiga podia ser hilárias ás vezes e isso era o que mais fazia Margot amá-la. Existiam pessoas que estavam no mundo apenas para tornar a vida das outras menos miseráveis e Allison era exatamente daquela forma. O seu dia estava seguindo normal, não havia se desvincilhado do curso e aquilo era mais do que bom. Porém, aos poucos, as coisas começaram a mudar.
O corredor tremeluziu e os corpos a sua volta passaram a perder consistência. O teto se abriu e onde havia luz se tornou sombrio, o que era sombrio se tornou iluminado. Todas as formas diante dos olhos de Margot começaram a sair de foco e em alguns segundos nenhuma delas poderia ser reconhecida. Margot estava sozinha. Uma sequência de imagens confusas, turbilhões começaram a se passar diante dos seus olhos. Guerra, sangue, luta de todas as formas a circundava como se estivesse em meio a um campo de batalha. Tudo era muito grandioso, muito celestial. Dois homens tomaram sua visão e gritos ecoavam por todos os lados, uma guerra acontecia bem diante da menina. Um deles tinha asas, o outro uma áurea negra. Os dois batalhavam arduamente, olho por olho, dente por dente e o coração da menina batia tão forte que parecia querer parar. E então os dois caíram. O chão se abriu, uma luz os engoliu e a prisão se fechou sobre as duas entidades. Por mais que nada daquilo fizesse sentido para ela, vozes em seus ouvidos começaram a sussurrar, dicas, mensagens que diziam claramente "Esse será o dia em que Miguel e Lúcifer cairão. Ambos aprisionados.".
Um piscar de olhos e então um corpo se esbarrou contra o de Margot, tirando-lhe o equilíbrio por um momento. Do seu rosto escorria suor e seu corpo estava apoiado contra o chão, sentada, enquanto algumas pessoas a observavam de forma hesitante, algumas assustadas. Ao seu lado havia um garota ajoelhado, cabelos castanhos e olhos preocupados, tocando o seu ombro como sua mãe costumava fazer quando ficava doente. Ela estava de volta nos corredores do seu colégio. O menino perguntou se estava tudo bem, mas ela não soube responder. Margot não tinha ideia do que havia acabado de acontecer, mas ela sabia que algo havia mudado. Ela só não tinha ideia quão grave aquela notícia era.
Depois do grande impacto na escola, as vozes nunca saíram da cabeça da menina. Como uma boa maga da internet, Margot passou a pesquisar de todas as formas e descobriu segredos sobre a sua vida que nunca imaginou um dia entender. Descobriu que era caçadora. Descobriu que sua família era polonesa e que não os conheceu por ter saído do país. Descobriu sobre o incesto dos seus pais. O mundo da menina virou de cabeça para baixo e com o tempo foi descobrindo que tudo aquilo fazia parte do seu talento, uma habilidade que lhe tornava diferente das pessoas normais. Ela era médium. As vozes nunca a abandonaram e delas Margot começou a tirar vantagens. Com o tempo, tudo o que restou a menina fazer, era conviver com aquele dom que havia sido lhe dado por alguma razão.
O único problema era que a mediunidade da garota foi atrativa não só para ela, mas para aqueles que a assistiam. A morte do seu pai não havia sido uma vingança antiga dos demônios e sim uma maneira de se aproximar da garota por conta dos seus poderes que poderiam ser úteis em uma guerra civil. Margot passou então a ser assombrada pelos espíritos do seu passado novamente, dessa vez demônios que passaram a procurar a menina de forma incessável. A proteção de sua mãe e alguns poucos amigos caçadores próximos que seus pais fizeram em NY foi a única coisa que restou para guardar a menina que sequer sabia como usar um revólver. Com o tempo ela teria que aprender a se defender em esperança de sobreviver ou pelo menos ter sua vida como antes, o tempo correndo contra ela.

 




Cara Delevingne - Caçadores - Annie



Última edição por Margot Ross Pollanski em Ter Ago 25, 2015 7:17 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Mensagens : 2
Data de inscrição : 18/08/2015
Ver perfil do usuário

Margot Ross Pollanski

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FP] ROSS POLLANSKI, MARGOT

Mensagem por Luix H. W. Kriskahn em Seg Ago 24, 2015 2:23 pm

As descrições ficaram bem feitas.
A sua desvantagem de compulsividade em estalar dedos será uma coisa interessante de se ver durante o jogo.A história ficou muito bem estruturada e contextualizada porém existem duas correções que precisam ser feitas:

Primeira: Será interessante você adicionar detalhes sobre tais "inimigos" que você colocou como desvantagem,será um bom material para os narradores.

Segunda:Não posso te adicionar ao grupo dos médiuns.Infelizmente o povo da Staff não fizeram nada e nem comentaram comigo sobre então é algo que está além do sistema.Oque tu podes fazer é adicionar sua mediunidade como uma "Observação" e seria algo involuntário em missões e coisas do jogo.Então poderei te adicionar no grupo dos caçadores até resolver oque será feito com os médiuns.


AÇÃO/narração      Fala       pensamentoFala de outras pessoas/leituras.[/center]
avatar
Mensagens : 16
Data de inscrição : 02/08/2015
Ver perfil do usuário

Luix H. W. Kriskahn
Hunter

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FP] ROSS POLLANSKI, MARGOT

Mensagem por Margot Ross Pollanski em Ter Ago 25, 2015 7:18 pm

Atualizada.
Cara, até pode me colocar no grupo dos caçadores, mas é desconexo com a trama da personagem já que ela nunca foi de fato uma caçadora. Seus pais se "aposentaram".
Porém eu posso fazer uma trama atual de ela aprendendo a lutar etc, então o grupo "caçadores" seria um negócio hereditário e em desenvolvimento. E abram logo o grupo de médiuns, poxa =(
avatar
Mensagens : 2
Data de inscrição : 18/08/2015
Ver perfil do usuário

Margot Ross Pollanski

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FP] ROSS POLLANSKI, MARGOT

Mensagem por Dean Winchester em Ter Ago 25, 2015 8:27 pm

Nós da Staff discutiremos sobre os Médiuns, caso o grupo seja liberado, você será adicionada.
Então, seja bem-vinda.

Ficha aprovada.




''I'm Fine.''
Make it right. With a smile.

.soph.


avatar
Mensagens : 13
Data de inscrição : 26/06/2015
Ver perfil do usuário

Dean Winchester
Hunter

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FP] ROSS POLLANSKI, MARGOT

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum